terça-feira, 19 de julho de 2011

Mais notícias sobre Herbalife

28/11/2007


Divulgando por solicitação da Herbalife


No dia 15 de outubro de 2007 divulgamos artigos científicos publicados pelo Journal of Hepatology no segundo semestre de 2007.

Na divulgação (da mesma forma como foi feito com o primeiro dos estudos em 26/06/2006) alertávamos sobre os cuidados que devem tomar indivíduos que apresentam algum problema no fígado em relação ao consumo de ervas e suplementos nutricionais. Alerta esse que reiteramos ao divulgar as novas publicações. 

Ficamos altamente satisfeitos com a Herbalife ao verificar que nesta segunda nota de esclarecimento público colocam no texto que "inicialmente, muitos desses indivíduos já apresentavam previamente sérias complicações médicas, tais como infiltração gordurosa do fígado, síndrome metabólica e hepatites".

Vemos assim que a Herbalife aceita que pessoas com esteatoses (gordura no fígado) síndrome metabólica (resistência a insulina e diabetes) e portadores de hepatites, devem ter cuidados especiais no seu uso. Em defesa dos acometidos por problemas hepáticos solicitamos publicamente a Herbalife que considere a colocação desta advertência nos rótulos dos produtos.

Antes de ingerir qualquer erva ou suplemento nutricional, por mais natural que ele for, sempre deve se consultar um médico, especialmente por aqueles acometidos de qualquer condição ou doença que afete seu fígado. Um fígado com considerável dano hepático possui menor capacidade de metabolização.

Considero estranho que os artigos publicados no segundo semestre de 2007 não citem a declaração relatada no texto da Herbalife referente ao parecer do dia 1º de maio de 2005. O Editorial do Journal of Hepatology explica que a atribuição dos problemas ao Herbalife pode ser especulativa, mas contesta a afirmação da Herbalife, informando que a companhia se recusou a fornecer as informações necessárias para esclarecer os casos. 

Estamos disponibilizando as publicações completas, em Inglês (formato .PDF) para que os interessados possam eliminar qualquer duvida sobre o tema. 

 Journal of Hepatology 47 (2007) 521-526 - Herbal does not mean innocuous: Ten cases of severe hepatotoxicity associated with dietary supplements from Herbalife_ products 

  Editorial do Journal of Hepatology 47 (2007) 444-446 - Slimming at all costs: Herbalife_-induced liver injury 

  Divulgado em 31/05/2006 - 10 casos de hepatotoxicidade severa associados ao uso do Herbalife e a Nota de Esclarecimentos da Herbalife em 26/06/2006

Continuamos assim nossa missão de manter informados a todos aqueles que apresentam problemas hepáticos, considerando que a informação e um excelente medicamento. 

Agradecemos o texto enviado pela herbalife o qual reproduzimos na integra como direito de resposta. 

Carlos Varaldo
Grupo Otimismo


Herbalife Brasil

Nota de Esclarecimento Público


Produtos Herbalife são seguros para consumo e não apresentam substâncias nocivas ao funcionamento do fígado

Os produtos da Herbalife estão presentes em 65 países ao redor do mundo, comercializados por 1,6 milhões de distribuidores independentes e estão sendo largamente consumidos ao longo desses 27 anos em que a empresa está no mercado. Não existe nenhuma evidência conclusiva de que os produtos da Herbalife sejam os responsáveis pelos problemas hepáticos relatados nos artigos citados.

A Herbalife está ciente de que foi relatado que um número infinitamente pequeno de consumidores apresentou alteração nos valores considerados normais para as enzimas hepáticas. Em resposta a esses questionamentos, a companhia consultou renomados especialistas em hepatologia, promoveu inúmeras pesquisas independentes e colaborou plenamente com as autoridades governamentais que estão tratando dessa questão.

Após essa exaustiva revisão não foi encontrada nenhuma base científica para afirmar que qualquer produto da Herbalife, quando consumido como recomendado no rótulo, seja potencialmente tóxico ou que exista qualquer componente nesses produtos que possam oferecer danos para o fígado.

Os produtos da Herbalife são formulados e rotulados na mais estrita concordância com as normas e leis que regulamentam o mercado de cada país onde são vendidos. As autoridades governamentais responsáveis por essas legislações e muito menos a própria Herbalife jamais permitiriam que fossem comercializados produtos que apresentassem a menor evidencia de que pudessem causar algum grau de risco para a saúde de quem os venha a consumir. 

Todos os ingredientes e princípios ativos dos produtos da Herbalife são listados nos seus respectivos rótulos e seus benefícios para a saúde e sua segurança são baseados nas mais recentes pesquisas científicas.

Todos os produtos são detalhadamente rotulados com as instruções e recomendações de uso. Além disso, a companhia recomenda que pessoas com eventuais problemas de saúde, gestantes ou lactantes consultem um profissional capacitado antes de iniciar um programa de controle de peso ou de suplementação nutricional. 

Os dois artigos publicados no Jornal de Hepatologia - Journal of Hepatology - relatam os casos que também foram acompanhados pelas autoridades de saúde de Israel e da Suíça. A Herbalife foi alertada sobre essas intercorrências e cooperou totalmente com as investigações governamentais. Os pesquisadores oficiais em ambos os países ficaram totalmente satisfeitos com as respostas oferecidas pela empresa.

Em atenção ao inquérito instaurado pelo Ministério da Saúde Israelense (MOH), a Herbalife reuniu um grupo de especialistas médicos e científicos, tanto da própria companhia como pesquisadores independentes, que providenciaram todos os documentos e dados sobre os produtos que foram solicitados pelos oficiais daquele ministério. 

A Herbalife realizou todos os exames sobre os produtos sugeridos pelo MOH, incluindo pesquisas sobre toxinas hepáticas conhecidas, metais pesados e pesticidas. Todos os testes foram negativos e devidamente encaminhados para as autoridades israelenses.

É importante destacar que o único paciente israelense que veio a falecer e que foi mencionado nos artigos, era portador de um grande número de complicações médicas. Conforme o relato dos especialistas que revisaram todos os casos: - "Foi relatado que essa mulher sofria previamente de Hepatite do tipo B e C e que a presença dessas duas graves infecções crônicas do fígado torna impossível concluir que a falência hepática aguda tenha sido causada pelo uso de algum produto da Herbalife". 

Depois de investigar esse assunto por mais de um ano, as autoridades israelenses não foram capazes de estabelecer nenhuma ligação científica entre os produtos da Herbalife e as alterações nas funções hepáticas apresentadas por um número insignificante de pacientes. 

O próprio MOH publicou uma declaração no dia 1º de maio de 2005 relatando que "Não ficou provado que exista uma relação de causa e efeito entre os produtos da Herbalife e alterações na função do fígado".

Em relação ao caso da Suíça, o Dr. David Heber, chefe do Conselho Científico e para Assuntos Nutricionais da Herbalife, viajou para aquele país a fim de se reunir com o Dr. Oneta, autor do artigo que relatou alterações hepáticas em consumidores de produtos Herbalife. 

A Herbalife também colaborou extensamente com o Ministério da Saúde Suíço (Swiss Bundesamt Gesundheit - BAG) no seu inquérito. Novamente a empresa providenciou substancial documentação em relação aos seus produtos e ofereceu irrestrita assistência do seu corpo de especialistas, tanto internos como os independentes. 

Em novembro de 2006, a oficial suíça responsável pela investigação, verbalmente confirmou que não eram necessárias outras informações adicionais por parte da companhia e que na visão dela, o assunto estava esclarecido.

A Herbalife e seus especialistas acreditam que existem diversos fatores que podem ser os responsáveis pelos valores anormais das enzimas hepáticas experimentados pelos pacientes discutidos nesses artigos. Inicialmente, muitos desses indivíduos já apresentavam previamente sérias complicações médicas, tais como infiltração gordurosa do fígado, síndrome metabólica e hepatites, que são as causas mais comuns das alterações hepáticas que eles acabaram por manifestar. 

É sabido também que o consumo de alguns alimentos, medicamentos e de bebidas alcoólicas, tanto individualmente ou quando combinados entre si, podem causar alterações no fígado. 

Além disso, baseado nas limitadas informações disponíveis, é impossível afastar a possibilidade que essas pessoas tenham consumido outros produtos, que não sejam os da Herbalife, e que esses outros sim, possam conter toxinas hepáticas conhecidas ou outras substâncias que efetivamente sejam as responsáveis pelas alterações hepáticas. 

Assim, os produtos a Herbalife permanecem considerados seguros e eficazes, como eles têm sido nos últimos 27 anos. Os extensivos testes efetuados tanto pelos cientistas da Herbalife como por pesquisadores independentes não encontram nenhuma evidência científica que possa seguramente relacionar os casos de Israel e Suíça com produtos da Herbalife. 

O Conselho para Assuntos Nutricionais da Herbalife, bem como todo o corpo científico da empresa asseguram para as centenas de milhares de consumidores, ao redor do mundo, que os produtos são seguros quando consumidos como recomendado. 

Mais informações
Conteúdo Comunicação
Tel.: 55 11 3093-7800
Cláudio Sá (claudio.sa@conteudonet.com)
Roberta Montanari(roberta.montanari@conteudonet.com)
Aline Stivaletti (aline.stivaletti@conteudonet.com) GRUPO OPTIMISMO DE AYUDA AL PORTADOR DE HEPATITIS
ONG - Registro n°.: 176.655 - RCPJ-RJ - CNPJ: 06.294.240/0001-22
Rio de Janeiro - Brasil
Tel. (55.21) - 9973.6832
e-mail: hepato@hepato.com Internet: www.hepato.com
28/11/2007

Follow by Email